sábado, outubro 10, 2009

Culturas do Fast-Food # 2

«O governo regional de direita da Madeira é dono de um jornal? Crime terrível. Um secretário de Estado da direita troglodita promove censura a um livro de José Saramago? Crime terrível. Acusemos! De acordo. E se a censura for feita por uma dinâmica mulher de esquerda? A ExperimentaDesign, pressionada por uma multinacional do “imperialismo americano”, censurou na semana passada uma obra artística por incluir um vibrador sexual. Foi censura pura e simples, como referiu a artista, Catarina Pestana. Mas Guta Moura Guedes, a directora da bienal, inventou uma desculpa para tentar esconder o seu acto de censura servil a mando do “imperialismo americano”. Não houve escândalo, não houve artigos inflamados, não houve j’accuses!, não houve abaixo-assinados, não houve comentadores na TV castigando Guta e a bienal. Até a Coca-Cola se safou. Os intelectuais, comentadores e jornalistas do costume mantiveram-se em cúmplice silêncio. É censura de esquerda, é boa, é guta, é cultura. Podemos dormir descansados.»

Eduardo Cintra Torres, Público (via Portugal dos Pequeninos)

5 Comments:

Blogger alma said...

AM,
acabou o tempo para a EXPERIMENTA :)

12:06 da manhã  
Blogger AM said...

atchim
espirro sempre (com quem embirro) :)
isso é um comentário ou uma profecia para o dia de... hoje!? :)

12:18 da manhã  
Blogger alma said...

uma profecia :)

12:25 da manhã  
Blogger beluga said...

Sei que não é nada comigo, mas apetecia-me (algo ambrósio) que fosse uma certeza.

11:44 da tarde  
Blogger AM said...

acabou-se-me tudo cá em casa
nem um after eight

12:00 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home